terça-feira, 11 de março de 2014



“Nascido em uma favela de Belo Horizonte, filho caçula de dez irmãos, aos seis anos de idade Roberto Carlos Ramos foi escolhido pela mãe para ser interno de uma instituição oficial que, segundo a propaganda da TV, preparava crianças para serem médicos, advogados e engenheiros. A realidade se revelou, no entanto, bastante diferente para o menino até então criado em uma família e dotado de pródiga imaginação.”

Eu não gostava muito de filmes nacionais até um tempo atrás, mas ultimamente tenho me surpreendido quando me deparo com um filme que tem uma história tão bonita quanto O Contador de Histórias e que ainda por cima é baseada em fatos reais.
O filme é dirigido por Luiz Villaça e conta a vida de Roberto, considerado um dos maiores contadores de história de Belo Horizonte. Quando era criança, sua mãe o levou para a Febem, que na época era considerada a ultima esperança das pessoas que não tinham condições de educar seus filhos. Longe de sua família, Roberto começa a viver em um mundo completamente diferente, sendo hostilizado, abusado. Chega a fugir várias vezes, mas de um jeito ou de outro, sempre acaba voltando.












Durante as fugas, fez da rua a sua casa. Entrou para o mundo das drogas e do crime e foi dado como “irrecuperável”. Uma pedagoga começa a realizar uma pesquisa na instituição e tem Roberto como seu objeto de estudo, dá casa, comida, afeto e tudo que o garoto nunca teve. Ela consegue mudar completamente o destino de Roberto.
Gosto muito de ver a história de vida de pessoas que lutaram e que conseguiram sucesso, não há dúvidas que o caminho foi tortuoso, cheio de dificuldades, mas que no fim tudo foi compensado por ter chegado onde chegou.
Dei uma pesquisada em algumas críticas sobre esse filme e me deparei com uma do Omeletedizendo que o filme não conseguia prender a atenção do telespectador. Acho que nunca vi uma crítica tão equivocada. Eu estava passando pelos canais e o filme já tinha começado quando comecei a ver e desde o primeiro momento eu me senti cativada, queria saber  que filme era aquele, queria ver o final da história e fiquei muito mais encantada quando soube que o personagem era baseado em uma pessoa de verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário