quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Te quero bem

large


Deitada ali no seu colo, olhando fixamente para o teto esverdeado pela luz, meu rosto fica inexpressivo com tantas lembranças voltando em minha mente. Você sempre achou que eu não tinha sentimentos, mas nesse dia cheguei à conclusão de que o tanto que você sente me deixa acuada. Sinto medo. Não sei ser assim.


Perto de você, eu me torno uma pedra fria, me torno a pessoa ruim que um dia te magoou. Eu nunca tive a intenção, queria que soubesse, mesmo depois de milhares de pedidos de desculpa. Desculpa, eu sinto muito. Senti, ainda sinto. Por muito tempo achei que esse foi o pior erro que eu poderia cometer na minha vida. Mas já foi. E eu precisava disso. Cresci errando. Me desculpe se foi às custas de seus sentimentos.


Meus olhos continuam imóveis olhando para o teto enquanto você mexe em meu cabelo. Faz tanto tempo que ninguém faz isso, sinto falta. Ao mesmo tempo que penso em tudo que passou, penso também no que está acontecendo e essa situação que eu não gostaria de presenciar. Você me deixou com medo, o que aconteceu com você? Sei que os anos passam e as pessoas mudam e você também deveria saber que eu não lido muito bem com mudanças. Eu sofro com elas.


Nossos caminhos foram tão distantes. Por um belo tempo achei que estávamos em duas retas paralelas e nunca mais nos encontraríamos. Eu olhava para os lados, te via, mas não conseguia te alcançar. Até que aconteceu. Agora você já parou de mexer em meu cabelo, provavelmente pela minha falta de reação ou pelo fato de estar completamente inconsciente.


Acorde! Olhe para mim, entenda o que eu estou falando! Mas você já foi… e eu fui também. Peguei aquele táxi desejando que as coisas tivessem tomado outro rumo. Me perguntando o motivo de ter sido assim. A resposta chegou alguns dias depois:


Eu me importo, sempre me importei, eu só não sabia. Precisava que você me mostrasse. Te quero bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário