quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Como é voltar para casa?

Imagem: Hajin Bae

Mas de que casa você está falando, Nathália? Aquela que tem toda a sua família de verdade, comida deliciosa da sua mãe e todas as coisas que você sentiu falta todo esse tempo que ficou fora.

Dia 28 de Outubro cheguei no Brasil. Coração acelerado porque sabia que assim que eu atravessasse aquele corredor eu iria ver minha família novamente. A gente sente muita saudade, parece muito surreal quando você encontra sua família de novo. Meus pais foram me buscar no aeroporto e a choradeira começou ali mesmo. De felicidade, é claro.

A última vez que os vi o clima era totalmente diferente. Era um clima de medo pelo que estava por vir, de não saber se eu ia parar na casa de pessoas boas ou se eu comeria o pão que o diabo amassou. Sorte a nossa que deu tudo certo. Sou extremamente grata pela sorte que tive.

Quando você entra no seu quarto, aquele que você passou praticamente metade da sua vida, você se sente estranha. É muito esquisito voltar para a sua vida de antes. E olha que eu estou de férias apenas, imagine se eu tivesse que voltar realmente.

Aliás, falando nisso… E a quantidade de pessoas te mandando mensagem perguntando se você desistiu? Mas já voltou? Acabou? Não. Infelizmente para as pessoas que acharam que eu desistiria ou que algo ia dar errado: estou de férias apenas.

Outra coisa que preciso falar e avisar para aqueles que pretendem voltar para casa nas férias: você vai comer como se não houvesse amanhã. Sabe todas as comidas que você desejou e que não tinha como comer? Pois é, você vai querer comer tudo de uma vez. E não vai parar. Vai querer aproveitar cada momento como se fosse o último e vai chorar por dentro quando olhar para as pessoas que você ama e lembrar que você vai embora, de novo. E vai doer porque você sabe que é uma escolha sua, apenas sua.

E se você já não quer mais morar no Brasil, vai se sentir um estranho no ninho como eu. Eu não me vejo morando aqui, mas, ao mesmo tempo, eu amo minha terra. É muito contraditório, mas para mim faz todo sentido. Eu já decidi que não quero isso para mim então tenho que aprender a conviver com as dores das minhas decisões.

Eu não me arrependo nem um pouco de ter passado minhas férias no Brasil com a minha família em vez de viajar para algum outro lugar. Eu realmente precisava voltar para casa antes de continuar minha jornada. E é assim que eu volto, completamente recarregada de muito amor.





2 comentários:

  1. Oi Nathália!
    Fiquei curiosa para saber o que fez você não ter mais a perspectiva de morar no Brasil. Se isso foi depois do intercâmbio, e se você já tem ideia de quais serão seus planos futuros. Quando possível, seria legal um vídeozinho sobre isso... :)

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo o seu depoimento. Senti a mesma coisa qua do fui visitar a minha família depois de ter ficado longe por um ano e meio. Hoje depois de quase cinco anos morando nos EUA minha mãe e minha ira estão vindo me visitar em Dezembro, e eu mal posso esperar de tanta ansiedade de mostrar essa realidade tão diferente pra elas!
    Beijos e tudo de bom na sua jornada!

    ResponderExcluir